ALERTA LARANJA – Perguntar não ofende…

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Por Beth Michel

“Não ofende! Mas, também não funciona…” – comentou um leitor.

Como assim? – De que adianta a gente ficar perguntando, se ninguém sabe (ou quer) responder… Não é isso?

Bem… Se a gente levar em consideração que: a voz do povo é a voz de DEUS; e que o povo diz que: QUEM CALA CONSENTE! Só aí já temos “respostas” por omissão para… Deixa eu contar… Confere aí Carlão: Vinte e quatro colunas publicadas e sem retorno… É isso mesmo?

ronaldo-1Já pensaram se fosse uma avaliação do ENEM? O que ia ter de “otoridade” reprovada… Aff!

Minhas perguntas de hoje então vão no futuro pretérito:

1 – Os eventos culturais que DEVERIAM acontecer em 2015 – e não aconteceram do modo previsto (uns poucos foram agasalhados por outras secretarias e não pela de Cultura)… Por acaso, estariam eles previstos no orçamento aprovado pela Câmara de Vereadores ? Em estando, o que foi feito com a verba alocada para eles (eventos)?

2 – O orçamento aprovado para a Sec. de Cultura em 2013, para o exercício de 2014 foi de pouco mais de R$ 4 milhões, e DEVERIA incluir o Carnaval e algumas obras emergenciais em equipamentos (físicos) culturais, além do “bendito” PROEDI… Poderíamos saber onde foi aplicada a verba? Teria havido alguma “sobra de caixa”? Quanto?

3 – De quanto TERIA sido o orçamento da Cultura para 2015? Quanto, de FATO, teria sido recebido e aplicado em Cultura? E os eventos que teriam sido programados pela comissão nomeada pelo Secretário para a comemoração dos 400 anos, constariam da planilha enviada ao legislativo? Por que, e por quem os eventos foram cancelados e/ou modificados?

cartoon-arrest-journalists4 – A quem INCUMBIRIA (no âmbito da Secretaria de Cultura) cortar os eventos tradicionais que deixaram de ser realizados (Carnaval, Semana Teixeira e Souza, Anuário Cultural, Encontro de Corais e etc) em proveito de projetos novos? E que entidades de Utilidade Pública (Banda 13 de Novembro, Casa Scliar etc) teriam deixado de receber subsídios e por que razões?

5 – De quanto foi o orçamento para a Cultura exercício 2016? A que destinação DEVERIA ser aplicada a verba ? A Câmara de Vereadores deveria ter uma previsão orçamentária para a Cultura devidamente descriminada – valor e destinação? Onde poderíamos obter uma cópia do orçamento aprovado?

6 – Estando legalmente instituído o Fundo Municipal de Cultura desde antes de 2013, o orçamento destinado à Cultura não DEVERIA necessariamente ser depositado em conta específica? E em tendo sido depositado poderia ser destinado a fins diferentes daqueles previstos na lei? Quem seria  o responsável pela gestão e liberação das verbas destinadas ao Fundo?

Cartoon Brasil

7 – EXISTIRIA algum evento Cultural e/ou tradicional que sim será realizado ainda este ano? Estaria previsto no orçamento para este ano (2016), obras ou reparos em prédios públicos que estejam sob a égide da Secretaria de Esportes, Cultura e Ciência e Tecnologia? Estando em ano eleitoral tais verbas poderiam ser liberadas sem infringir a lei eleitoral? A quem incumbiria a responsabilidade por deterioração em tais patrimônios, ou em caso de perda total ou parcial?

POR HORA, SEM MAIS PERGUNTAS SENHORAS E SENHORES!ziper

Os perguntados tem o direito de permanecer em silêncio! MAS, SERIA CONVENIENTE?

 

 

This entry was posted in FeBeACaF - Festival de Besteiras que Assola Cabo Frio, GERAL, PERGUNTAR NÃO OFENDE... Blog do Carlão, PLANO MUNICIPAL DE POLÌTICAS PÚBLICAS, SÓ PRÁ CHATEAR..., UTOPIAS PALACIANAS. Bookmark the permalink.