“O COMBINADO NÃO SAI CARO” – Perguntar não ofende…

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Por Beth Michel

Diz o ditado que: “O COMBINADO NÃO SAI CARO”. Desde 2008 um grupo de pessoas se reunia uma vez por semana para elaborar um projeto de Políticas e Ações Culturais Públicas. Destas reuniões derivou-se “Cidade Viva” e posteriormente o primeiro Fórum Municipal de Cultura .

Cidade Viva - Cultura 123

Primeira reunião do Cabo Frio Cultura viva. O atual ex secretário estava presente , assim como seu antecessor.

TuLOGO_CULTURA_CABO_FRIOdo girava em torno de encontrar uma nova via de arrecadação independente para a CULTURA – a “eterna prima” pobre da administração pública. Já havia uma forte “suspeita” de que a arrecadação (via Royalties) ia cair de forma vertiginosa e inexorável. E não deu outra!

A “saída” foi propiciada pelo Governo Federal pela criação do PLANO NACIONAL DE CULTURA, e partir daí todas as discussões e metas se dirigiram neste sentido, e reunindo as mais diferentes entidades , pensamentos e ideologias políticas em torno do BEM MAIOR comum. Todos – mas, todos mesmo; estavam cientes do propósito final, e após a votação foi formulado o projeto “mãe” , todos se comprometeram em levá-lo a bom termo independentemente do resultado das eleições (2008 e 2012). Até mesmo os então candidatos à Prefeitura… Os Secretários de Cultura da gestão anterior avançaram bastante para efetivar “O COMBINADO”, deixando apenas umas poucas ações para o seu sucessor formalizar o Plano Municipal de Cultura.

Plenária do I Fórum de Cultura (2009) na U.V.A. . O atual ex-secretário era o relator.

Plenária do I Fórum de Cultura (2009) na U.V.A. . O atual ex-secretário era o relator.

SÓ QUE NÃO! E eu estou me perguntando desde março de 2013, o que “desandou”? O programa de governo do atual executivo foi (todo ele) pautado no tal “combinado”; que não só não teria custado muito caro, como também impediu o ganho de receitas independentes e extras para a Cultura.comprometimento-no-trabalho

Teve um bando de gente de todos os setores culturais e de todas as colorações ideológicas, que me disse que o problema era a VAIDADE e ARROGÂNCIA do titular da pasta… Será!? Acho pouco provável… Quem iria sacrificar todo o setor cultural ( e o próprio executivo do qual fazia parte) por uma vaidade duvidosa? Só para ter o prazer de dizer : “Quem manda aqui sou eu”. Parece uma atitude inteligente?plagiador

Outros afirmam que foi para “tirar onda” de inovador, e levar o crédito em cima do trabalho alheio (devidamente bagunçado). Mas, para tanto teve que gastar uma verba já insuficiente com os prêmios dos tais PROEDIs – de sua (dele) autoria; e outorgados de forma um tanto confusa, para uns poucos agentes culturais, e muitos deles sequer foram realizados… Estranho, não? Afinal, quem “levaria vantagem” sobre tal disparate?

combinado não sai caro

Uma agente cultural independente me perguntou certo dia: “Mas, porque o “fulano” mudou tanto? O que ele acha que vai acontecer com a reputação dele perante a opinião pública, e seus pares?” Na época eu não soube responder, mas agora “ele” ao menos deve ter percebido…

Então a pergunta permanece: PORQUE NÃO FEZ O COMBINADO? E não vale botar a culpa no Prefeito dizendo que ele “não deixou”, tem mais de uma dúzia de testemunhas para afirmar justamente o contrário…

P.S: Quem quiser saber do “inteiro teor” do Programa de Cultura do atual governo, e do “combinado” nos 3 (três) fóruns de cultura, é só pedir que EU tenho a cópia!

Esta entrada foi publicada em ELEIÇÕES 2012, FeBeACaF - Festival de Besteiras que Assola Cabo Frio, PERGUNTAR NÃO OFENDE... Blog do Carlão, PLANO MUNICIPAL DE POLÌTICAS PÚBLICAS, SÓ PRÁ CHATEAR.... Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.