POUCAS & BOAS – SÓ QUE NÃO… ELEIÇÕES 2016

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

 

BroncaPor Beth Michel

  • JOGANDO A TOALHA

Muita gente pensava que o fato de Alair Corrêa não ter anunciado sua candidatura à reeleição com a mesma antecipação que muitos outros, significaria que ele estaria “jogando a toalha”… Só que não! Na verdade ele nunca disse que não era candidato; ele simplesmente aguardou o momento propício para anunciar sua candidatura. E o momento propício era justamente o do último mês da “janela eleitoral”, oras!

  • ALVOROÇO

A paralisia dos demais candidatos, provocada por um anuncio feito sem o habitual alvoroço e para um público propositalmente reduzido (apenas 10% daquele que normalmente comparece às reuniões deste tipo), induziu parte da mídia e dos adversários a acreditar que o anúncio não era “para valer”. Só que não!Enquanto estes ficam imaginando o que de fato pode estar rolando, Alair tem o tempo necessário para se dedicar a assuntos que tenham relevância para a cidade.

  • PROMOÇÃO?

Um “rótulo” ou uma plaquinha com título pomposo, em uma porta pode levar a crer que o portador do “cargo” recebeu uma promoção. Só que não! É muito mais comum do que se pensa (seja em empresas privadas ou públicas) dar um cargo sem função (ou poder) a algumas pessoas apenas para mantê-las sob controle. Enquanto elas brincam de “rei da montanha” não tem tempo para atrapalhar os que de FATO são relevantes para o bom funcionamento da “máquina”…

  • FOCA EM MIM!

As mídias formais e informais (não todas) estão há meses “focando” seus editoriais e manchetes em pré-candidatos altamente improváveis. Muitas especulam sobre apoios partidários e financeiros; prováveis alianças ou defecções… Todos e cada um achando que descobriram a chave para determinar quem vai levar a melhor. Só que não! Quanto maior o número, e quanto mais as possibilidades dos candidatos sejam parecidas, menor é a possibilidade de acerto… A isto se denomina desviar o foco…

  • AZARÕES!

A maioria de concorrentes tradicionais (ou de “peso” como queiram) ainda não veio a público formalmente para buscar votos. Já os azarões, estes estão bastante “relaxados”. Ambas categorias parecem estar certas que sem Alair no “páreo” tem bastante tempo para correr atrás dos seus (dele) eleitores e também para fazer alianças. Só que não! Mesmo que Alair não fosse candidato, ou no caso dele indicar algum sucessor. Eleitor de Alair É eleitor de Alair! Eu mesma prefiro justificar o meu voto do que votar em outro (mesmo que indicado por ele). Assim foi comigo nas eleição de 2004. Não votei em Marcos Mendes, preferi anular meu voto!

  • AS MADALENAS

Os pré-candidatos que foram afoitos e caíram no colo dos adversários  tradicionais de Alair certamente estarão achando que poderão se arrepender e restabelecer o “status quo ante” …Afinal, no pleito passado ele distribuiu perdão a torto e a direito! E outros preferem entrar no papo midiático de que Alair vai “mudar de ideia”. Só que não! Alair não “precisa” mais acolher os desleais – nem os refugiados! Embora, eventualmente, possa fazê-lo… Porém, sou capaz de jurar que: ”nada será como antes amanhã”. Quanto a mudar de ideia?! A esta altura da vida? Vai vendo…

  • OS PEDINTES

Todo ano eleitoral é a mesma coisa. Os “xepeiros”das urnas, fazem filas intermináveis para trocar seus votos por cimento, cestas básicas, e os mais ambiciosos (sindicalistas e lideres comunitários) por “pacotinhos bom prá cacete” (sic). Eles acreditam piamente que os candidatos não fazem a menor idéia das suas (dos xepeiros) reais atividades privadas (e bota privada nisso). Só que não! Depois das redes sociais todo mundo sabe de tudo, sobre todos. E os que mais estão antenados são justamente os candidatos, muitos tem centenas de informantes que “printam” cada arroto dos pedintes! E com a nova lei eleitoral… Bem, a era da xepa morreu!

 

 

 

 

 

 

Esta entrada foi publicada em POUCAS & BOAS, SÓ PRÁ CHATEAR.... Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.